BATALHA DO CUITO CUANAVALE: DA DISTENSÃO POLÍTICA AO DESAFIO ECONÓMICO REGIONAL

Autores

Palavras-chave:

Cuito Cuanavale, distensão, desenvolvimento, económico, regional

Resumo

A Batalha do Cuito Cuanavale, ocorrida entre 15 de Novembro de 1987 e 23 de Março de 1988, é o acto bélico final de uma série de ataques e contra-ataques entre as Forças Populares de Libertação de Angola (FAPLA), aliadas ao contingente Militar Cubano e às Forças de Defesa da África do Sul (SADF), aliadas à União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), no corredor entre as regiões de Mavinga e Cuito Cuanavale, no Sul de Angola. Dada a vigência do período de co-existência pacífica essencialmente entre os Estados Unidos (EUA) e a União Soviética (URSS), bem como da prevalência dos realinhamentos ideológico-políticos e militares dos EUA com a África do Sul do Apartheid e a UNITA, e a URSS com a República Popular de Angola, o clima de desanuviamento internacional, assim como o êxito final da batalha determinarão a alteração do status quo na região Austral, por meio dos Acordos Tripartidos de Nova Iorque assinados a 22 de Dezembro de 1988 entre os Governos de Angola, de Cuba e da África do Sul. No entanto, a transformação da Organização de Unidade Africana (OUA) em curso desde finais da década de 1990 e a aposta de África na integração regional e continental no sentido da promoção do desenvolvimento, para a região Austral isto só será possível tendo em conta o desanuviamento político e a estabilidade política trazidos pelo desfecho da batalha. Através do método histórico, da contextualização, da técnica de revisão da literatura e análise dos documentos institucionais pretendemos analisar a correlação existente entre a distensão política internacional e/ou regional e os seus efeitos, a posteriori, na integração económica regional, com realce para descrição de alguns desafios económicos que enfrenta a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Referências

Agostinho, I. (2015). A batalha do Kuito Kuanavale e o desanuviamento político da África Austral. Roma: Edizione Nuova Cultura.

Agostinho, I. (2018). Angola, formação e democratização do Estado. Roma: Edizione Nuova Cultura.

Agostinho, I.(2018). Metodologia delle Relazioni Internazionali. Cenni concettuali generali. Roma: Edizioni Nuova Cultura.

Arquivos da República da África do Sul.Angola: Discussion With Foreign Minister Jorge, 1 de Dezembro de 1977.

Arquivos de Governo Federal Militar. FMG gearing up for OAU Summit on Angola, 5 de Janeiro de 1976.

Boniface, P. (1997). Dicionário das Relações Internacionais.1ª Ed. Lisboa: Plátano Edições Técnicas.

Da Silva, F. C. T. (2004). Enciclopédia de Guerras e Revoluções do Século XX. As Grandes Transformações do Mundo Contemporâneo. Rio de Janeiro: Editora Campus.

Diop, C. A. (1974). Black Africa. The Economic and Cultural Basis for a Federated State. Expanded Edition With an Interview by Carlos Moore. Chicago: Lawrece Hill Books.

George, E. (2005). The Cuban intervention in Angola, 1965–1991: from Che Guevara to CuitoCuanavale. New York: Frank.

Jinping, X. (2014). The Governance of China. Beijing: Foreign Languages Press Co.Ltd.

Mateus, D.C. e Mateus, A. (2011). Angola 61: Guerra Colonial. Causas e Consequências. O 4 de Fevereiro e o 15 de Março. 2ª Ed. Cortova: Texto Editores.

Mette, B. (2010). Teaching multi-methodology research courses to doctoral students. International Journal of Multiple Research Approaches, 4(1),20-21. https://doi.org/10.5172/mra.2010.4.1.019.

Ngomane, M. (2018). Ubuntu. La via Africana alla felicità. Milano:Rizzoli.

Oliveira, R. G. de, et al. (2022). Metodologia de Contextualização da Aprendizagem para a Promoção de uma Avaliação Construtiva. Cadernos da Pedagogia, 16(34),4- 11.https://www.cadernosdapedagogia.ufscar.br/index.php/cp/article/view/1812.

Piketty, T. (2016). Il capitale nel XXI secolo. Milano: Bompiani.

Taibo II, P. I. (2016). Senza perdere la tenerezza. Vita e morte de Ernesto Che Guevara. Milano: il Saggiatore.

Thomashausen, A. (2002). Angola: the role of the International Community. SA Journal of International Affairs. Special Edition.

Valentim, J. (2010). Caminho Para a Paz e Reconciliação Nacional. De Gbadolite a Bicesse (1989-1992). 1ªEd. Luanda: Mayamba Editora.

Wolfang, D. (1998). Uma Nova Política Exterior depois do Apartheid - Reflexões sobre as relações regionais da África do Sul, 1974-1998. Revista Brasileira de Política Internacional, 41 (1): 133-161.

Sitografia

ADST Website (1998). Ambassador Donald F. Mchenry, October 1, 1998. Disponível em: https://adst.org/OH%20TOCs/McHenry,%20Donald%20F.toc.pdf.

AfDB (2021). Southern Africa Economic Outlook 2021. Debt Dynamics: The Path to Post-COVID Recovery. Disponível em: https://www.afdb.org/en/documents/southern-africa-economic-outlook-2021.

Banco Mundial (2022). GDP per capita (current US$) – China. Disponível em: https://data.worldbank.org/indicator/NY.GDP.PCAP.CD?locations=CN

Dag Hammarskjöld Library (2022). Meetings conducted by the Security Council in 1978. Disponíveç em: https://research.un.org/en/docs/sc/quick/meetings/1978.

Expert Advisory Panel (2019). Final Report of The Presidential Advisory Panel on Land Reform and Agriculture. For His Excellency the President of South Africa. 4 May 2019. Disponívelem: https://www.gov.za/documents/final-report-presidential-advisory-panel-land-reform-and-agriculture-28-jul-2019-0000.

Gelb, L. (1975). U.S., Soviet, China reported aiding Portugal, Angola. September 24, 1975. Disponível em: https://www.nytimes.com/1975/09/25/archives/us-soviet-chinareported-aiding-portugal-angola-secret-funneling-of.html

OUA (1991). Treaty Establishing the African Economic Community. Disponível em: https://www.wipo.int/edocs/lexdocs/treaties/en/aec/trt_aec.pdf.

SADC (2021). Relatório da SADC 2020-2021. Acessível em: https://www.sadc.int/documents-publications/show/9145.

___(2022). SADC Facts & Figures. Disponível em: https://www.sadc.int/about-sadc/overview/sadc-facts-figures/.

South Africa.South African Government (2017). Land Reform. Disponível em: https://www.gov.za/issues/land-reform.

UA (2018). Mandato da Agência de Desenvolvimento da União Africana. Disponível em: https://au.int/decisions/decisions-11th-extraordinary-session-assembly.

Downloads

Publicado

27-04-2024

Como Citar

CAMACOZA, I. . (2024). BATALHA DO CUITO CUANAVALE: DA DISTENSÃO POLÍTICA AO DESAFIO ECONÓMICO REGIONAL. Revista Sol Nascente, 12(3), 247–262. Obtido de https://revista.ispsn.org/index.php/rsn/article/view/297