ESCOLA, CURRÍCULO E TECNOLOGIAS DIGITAIS EM ANGOLA: TENDÊNCIAS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO PARA O PERÍODO PÓS-COVID-19

Autores

Palavras-chave:

Currículo, Educação, COVID-19, Tecnologia digital, Inovação pedagógica

Resumo

A compreensão do impacto da COVID-19 sobre a educação é de extrema importância, no sentido de se buscar maneiras de aperfeiçoar as medidas e os recursos ora tomados para um futuro incerto. Este estudo reflecte sobre tendências e desafios da educação angolana para o período pós-pandémico, problematizando a questão da escola, do currículo e das tecnologias digitais num contexto onde a estabilidade é a própria mudança. Em termos metodológicos, a pesquisa é de natureza qualitativa e se vale de referenciais bibliográficos e documentais obtidos mediante leitura heurística da documentação relacionada. A triangulação das leituras permite sinalizar a necessidade de um repensar urgente e pragmático do processo educativo, permitindo uma maior flexibilidade curricular e espácio-temporal, dinâmicas cooperativas solidárias, amparadas pelo solucionismo tecnológico digital inclusivo e pela capacidade de adaptação dos agentes educativos, favorecendo uma prática educativa emancipadora voltada para a cidadania e incerteza globais. 

Referências

Lei nº 32/20, de 12 de Agosto do Ministério da Educação (2020). Aprova a Lei de Base do Sistema de Educação e Ensino. Boletim Oficial de Angola. I Série – Nº 123. Disponível em https://pt.scribd.com/document/.

Decreto Presidencial n.º 81/20, de 25 de Março do Ministério da Educação (2020). Aprova as medidas excepcionais de controlo da propagaçãoda pandemia. Boletim Oficial de Angola, I Serie – Nº 35. Disponível em https://lex.ao/docs/presidente-da-republica/2020/decreto.

Lei Constitucional 2010.Assembleia Nacional. I Série-nº 23, de 5 de Fevereiro. Luanda. Disponível em https://governo.gov.ao/documentos/consitui%C3%A7%C3%A3o.

Azevedo, J. (2020). COVID e educação: da emergência às oportunidades.In J. M. Alves, I. Cabral (eds),Ensinar e aprender em tempo de COVID 19: entre o caos e a redenção (83-86). Porto: Faculdade de Educação e Psicologia. Disponível em: https://repositorio.ucp.pt/handle/10400.14/30705.

Ball, S.J. (2001).Directrizes políticas globais e relações políticas locais em educação. Currículo sem Fronteiras, 1(2)99-116. Disponível em https://biblat.unam.mx/pt/revista/curriculo-sem-fronteiras/articulo/diretrizes-politicas-globais-e-relações-politicas-locais-em-educacao.

Barreto, A. C. F.&Rocha, D. S. (2020). COVID 19 e Educação: resistências, desafios e (im) possibilidades.Revista Encantar-Educação, Cultura e Sociedade, 2, 01-11.Disponivel em https://revistas.uneb.br/index./php/encantar/article/view/8480.

Bates, A. W. (2017). Educar na era digital: design, ensino e aprendizagem. Tradução de Teaching in a Digital Age: guidelines for designing teaching and learning. São Paulo. Artesanato Educacional.

Bardin, L. (2006).Análise de conteúdo(L. de A. Rego & A. Pinheiro, Trads.). Lisboa: Edições 70.

Dubet, F. (2004).O que é uma escola justa?Cadernos de Pesquisa, São Paulo, SP, v. 34(123), p. 539-555. https://doi.org/10.1590/S0100-15742004000300002.

Diambo, F.;Yoba, C.& Chocolate, F. (2020).Continuidade da Acção Educativa e Ensino no Contexto Domiciliar Angolano Durante a Pandemia da COVID-19.Revista Angolana de Extensão Universitária, 2 (3), 68-88. Disponível em https://www.portapensador.com/index/php/RAEU-BENGO/article/view/199.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra..

Gonçalves, V. (2020). COVIDdados a inovar e a reinventar o processo de ensino-aprendizagem com TIC.Revista Pedagogia em Ação, 13(1), 43-53. Disponível em http://hdl.handle.net/10198/22481.

Julião, A. L. (2022). Articulação curricular e melhoria da actuação docente em Benguela: Desafios e Perspectivas. Sapientiae: Ciências Sociais, Humanas e Engenharias, 7 (2), 185-202.Disponível em: https://doi.org/10.37293/sapientiae72.05Julião, A. L. (2020). Apartheid curricular nas práticas e processos escolares em Angola: uma reflexão crítica. In R. F. Honorato & E. S. Santos (orgs.). Políticas curriculares (inter)nacionais e seus (trans)bordamentos (pp. 79-102). Editora Ayvu. Rio de Janeiro. Disponivel em https://www.ayveditoracom/

Julião, A. L. (2020).Professores, Tecnologias Educativas e COVID-19: Realidades e Desafios em Angola.RAC: Revista Angolana de Ciências, 2 (2), 1-25. Disponível em http://publicacoes.scientia.co.ao/ojs/index.php/rac/article/view/105

Leão, C. G. (2023). A universidade no pós-pandemia: cenários futuros. EducaçãonaSociedade do Conhecimento (EKS), e28773. https://doi.org/10.14201/eks.287.73, C

Lopes, A. C. (2015).Por um currículo sem fundamentos. Linhas Criticas, Brasília, DF. 21 (45), 445-466. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=193542556011.

Mainardes, J.&Marcondes, M. I. (2009).Entrevista com Stephen J. Ball: um diálogo sobre justiça social, pesquisa e política educacional. Educação & Sociedade, Campinas, 30(106),303-18. Disponivel em https://101590/S0101-73302009000100015

Morgado, J. C.;Sousa, J.&Pacheco, J. A. (2020). Transformações educativas em tempos de pandemia: do confinamento social ao isolamento curricular. Praxis educativa, vol. 15, e2016197.Disponível em: https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.15.16197.062

Morozov, E. (2020).Solucionismo, nova aposta das elites globais. Trad. Simone Paz. Ribeirão Preto: Outras Palavras.

Nascimento, M.(2021).A Educação na Pós Pandemia: Desafios e legados.Revista Faculdade FAMEN - REFFEN, 2 (1)Disponivel em https://doi.org/1036470/famen.2021.r2a05.

Neves, L. (2020). O Ensino e os Professores na Escola Pública durante a Pandemia COVID-19.Público. Comunicação Social SA.Disponivelem: https://www.publico.pt/2020/04/04sociedade/opiniao/ensino-professores-escola-publica-durante-pandemia-covid19-191094.

Reimers, F.&Schleicher, A. (2020). Schooling disrupted, schooling rethought: How the Covid-19 pandemic is changing education,OECD Publishing. Disponível em https://education4resilience.iiep.unesco.org/index.php/resources/2021/schooling-disrupted-schooling-rethought-how-covid-19-pandemic-changing-education.

Roldão, M. C. (1999).Os Professores e a Gestão do Currículo. Porto: Porto Editora.

Santos, V. B.&Monteiro, J. C. S. (2020).Educação e COVID-19: as tecnologias digitais mediando a aprendizagem em tempos de pandemia. Revista Encantar-Educação, Cultura e Sociedade, 2, 01-15. Disponível em https://doi.org/1046375/encantar.v2.0011.

Young, M. (2010).Conhecimento e currículo. Do Socioconstrutivismo ao realismo social na sociologia da educação. Porto: Porto Editora.

Downloads

Publicado

27-04-2024

Como Citar

PAULO, A. . (2024). ESCOLA, CURRÍCULO E TECNOLOGIAS DIGITAIS EM ANGOLA: TENDÊNCIAS E DILEMAS DA EDUCAÇÃO PARA O PERÍODO PÓS-COVID-19. Revista Sol Nascente, 12(3), 157–171. Obtido de https://revista.ispsn.org/index.php/rsn/article/view/293